Quinta-feira
03 de Dezembro de 2020 - 

Intranet

Clientes / Advogados

Notícias

Boletins

Assine e receba nossas atualizações jurídicas

Bolsas de Valores

Bovespa 0,92% . . .
Dow Jone ... % . . .
NASDAQ 0,02% . . .
França 0,43% . . .
Japão 1,86% . . .
S&P 500 0,31% . . .

Cotação de Câmbio

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,23 5,23
EURO 6,31 6,31
IENE 0,05 0,05
GUARANI 0,00 0,00
LIBRA ES ... 6,96 6,97
PESO (ARG) 0,06 0,06

Webmail

Institucional / Colaboradores

Previsão do tempo

Hoje - Brasília, DF

Máx
30ºC
Min
19ºC
Poss. de Panc. de Ch

Sexta-feira - Brasíli...

Máx
30ºC
Min
21ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Niterói, RJ

Máx
32ºC
Min
24ºC
Pancadas de Chuva a

Sexta-feira - Niterói...

Máx
30ºC
Min
25ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - São Paulo, SP

Máx
28ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva a

Sexta-feira - São Pau...

Máx
25ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
32ºC
Min
24ºC
Pancadas de Chuva a

Sexta-feira - Rio de J...

Máx
30ºC
Min
25ºC
Pancadas de Chuva a

TJSP confirma júri que condenou réu acusado de matar bebê de sete meses

Pena fixada em 18 anos de reclusão A 4ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve, na última sexta-feira (13), decisão do Tribunal do Júri que condenou por homicídio qualificado réu acusado de matar bebê de sete meses. A pena foi fixada em 18 anos e oito meses de reclusão, em regime inicial fechado. Consta nos autos que o réu morava com a mãe da criança, sua companheira há dois meses, na Capital. Encarregado de cuidar do bebê e aproveitando-se da ausência de outras pessoas na residência, o acusado teria provocado asfixia e traumatismo crânioencefálico na vítima. Ao contrário da alegação do réu, que o bebê teria se machucado em queda e se engasgado, laudo pericial apontou que as lesões só podem ter sido causadas de forma proposital. De acordo com o relator da apelação, desembargador Euvaldo Chaib, as qualificadoras de meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima foram corretamente aplicadas. "O emprego de meio cruel, consistente em asfixia, escora-se no laudo de exame necroscópico e nas declarações do perito criminal. Nítido que a ação do apelante causou ao infante sofrimento desmedido e desnecessário", afirmou. "Do mesmo modo, o recurso que dificultou a defesa do ofendido está patente, não só pela tenra idade e fragilidade do bebê, totalmente impossibilitado de reagir às investidas de seu algoz, mas também pelo fato de o apelante ter retirado o irmão mais velho da residência, a fim de que nada o interrompesse", concluiu o magistrado. O julgamento teve a participação dos desembargadores Camilo Léllis e Edison Brandão. A decisão foi unânime. Apelação nº 0017557-64.2011.8.26.0050 imprensatj@tjsp.jus.br Siga o TJSP nas redes sociais: www.facebook.com/tjspoficial www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficial 
21/11/2020 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitante nº  2039207
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.