Domingo
24 de Outubro de 2021 - 

Intranet

Clientes / Advogados

Notícias

Boletins

Assine e receba nossas atualizações jurídicas

Bolsas de Valores

Bovespa 0,92% . . .
Dow Jone ... % . . .
NASDAQ 0,02% . . .
França 0,43% . . .
Japão 1,86% . . .
S&P 500 0,31% . . .

Cotação de Câmbio

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,71 5,71
EURO 6,64 6,65
IENE 0,05 0,05
GUARANI 0,00 0,00
LIBRA ES ... 7,85 7,85
PESO (ARG) 0,06 0,06

Webmail

Institucional / Colaboradores

Previsão do tempo

Hoje - Brasília, DF

Máx
27ºC
Min
19ºC
Chuvas Isoladas

Segunda-feira - Brasí...

Máx
28ºC
Min
18ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - Niterói, RJ

Máx
31ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Niter...

Máx
23ºC
Min
19ºC
Nublado

Hoje - São Paulo, SP

Máx
26ºC
Min
17ºC
Chuva

Segunda-feira - São P...

Máx
16ºC
Min
14ºC
Chuva

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
29ºC
Min
23ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Rio de...

Máx
24ºC
Min
19ºC
Chuvas Isoladas

Previdência Complementar é aprovada pela Câmara de Vereadores

O Projeto de Lei Complementar nº 009/21, que altera a forma de gestão do Regime de Previdência Complementar (RPC) para os servidores públicos titulares de cargo efetivo no Município de Porto Alegre, foi aprovado, com emenda, por 23 votos favoráveis e 11 contrários, nesta quarta-feira, 15, em sessão plenária da Câmara de Vereadores.  Com esta medida, a prefeitura deixa de criar uma nova fundação publica, com altos custos, para aderir a um plano de uma entidade já existente, que será escolhida por um processo seletivo público para gerir a previdência complementar de Porto Alegre.  De acordo com o secretário municipal da Fazenda, Rodrigo Fantinel, o processo seguirá a determinação da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas, preservando os princípios constitucionais e basilares da Lei Geral como a transparência, a economicidade, a eficiência e a publicidade.  Conforme o secretário, a principal característica na implementação do Regime de Previdência Complementar é a limitação das aposentadorias dos servidores efetivos, pagas pelo Previmpa, ao teto do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), atualmente em R$ 6.433,57.   Em contrapartida, para os servidores com remuneração acima deste teto, passam a ter o direito de ingressar num plano de previdência complementar com contribuições feitas pelo servidor e também pelo Município, garantindo uma reserva para suplementar as aposentadorias e pensões no futuro. “Estamos propondo uma solução ganha-ganha, menores custos para o Município e maior o benefício futuro dos servidores”, afirma Fantinel. A medida só atingirá os novos servidores que ingressarem e os atuais que facultativamente optarem por migrar de regime previdenciário, quando concluírem ser mais vantajoso. Os impactos das alterações propostas são positivos para o Município e também para os servidores municipais. Para o Município de Porto Alegre será melhor por ser menos onerosa, mais segura, além da administração municipal não precisar se envolver na complexa gestão do seu RPC, evitando, inclusive, a cedência de qualificados servidores ou contratação de novos. Para os novos servidores municipais e aos migrantes haverá a vantagem de participar de uma entidade com maior escala, consequentemente menor taxa administrativa e de carregamento, com maior benefício previdenciário futuro.  O objetivo, segundo o Executivo, é adotar uma alternativa mais eficiente em relação à aplicação dos recursos públicos necessários para a estruturação do RPC e que possa gerar mais benefícios previdenciários para os servidores que optem pela adesão.
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitante nº  3376186
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.