Terça-feira
01 de Dezembro de 2020 - 

Intranet

Clientes / Advogados

Notícias

Boletins

Assine e receba nossas atualizações jurídicas

Bolsas de Valores

Bovespa 0,92% . . .
Dow Jone ... % . . .
NASDAQ 0,02% . . .
França 0,43% . . .
Japão 1,86% . . .
S&P 500 0,31% . . .

Cotação de Câmbio

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,33 5,33
EURO 6,38 6,38
IENE 0,05 0,05
GUARANI 0,00 0,00
LIBRA ES ... 7,12 7,12
PESO (ARG) 0,07 0,07

Webmail

Institucional / Colaboradores

Previsão do tempo

Hoje - Brasília, DF

Máx
29ºC
Min
16ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Brasíl...

Máx
29ºC
Min
18ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Niterói, RJ

Máx
29ºC
Min
25ºC
Pancadas de Chuva a

Quarta-feira - Niteró...

Máx
27ºC
Min
24ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - São Paulo, SP

Máx
30ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva

Quarta-feira - São Pa...

Máx
30ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
29ºC
Min
25ºC
Pancadas de Chuva a

Quarta-feira - Rio de ...

Máx
27ºC
Min
24ºC
Pancadas de Chuva a

29/10/2020 - 09h00Banco indenizará cliente que teve conta invadida por vírusPerícia constatou programa capaz de roubar informações do computador de cliente

O Banco Santander do Brasil S/A deverá restituir em R$ 79.678,32 uma empresa que teve dinheiro retirado de sua conta corrente, após o sistema de segurança (desenvolvido pelo banco) ser invadido por um vírus de computador. A decisão foi da 12ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Invasão de conta de empresa se deu por programa capaz de roubar dados; banco foi responsabilizado A invasão do sistema, causada pela presença do programa “cavalo de troia”, foi confirmada por um especialista em Tecnologia da Informação, que inspecionou o computador da vítima na presença de um agente do cartório. De acordo com a desembargadora Juliana Campos Horta, não restou dúvidas sobre a falha na prestação de serviço do banco, que sabe de todos os riscos relacionados ao produto oferecido. “A imputação da responsabilidade civil orienta-se, ainda, pela teoria do risco profissional. O banco tem conhecimento dos riscos das transações financeiras realizadas através de seus terminais eletrônicos e internet e, assim, assume-os ao oferecer essa forma de serviço aos seus clientes. O cliente não pode ser responsabilizado por operações fraudulentas realizadas em sua conta corrente por terceiros”, relatou a magistrada. Com isso, foi vencida a defesa do Santander, segundo a qual a fraude jamais ocorreria caso o cliente não tivesse cedido os dados sigilosos a terceiros. O banco solicitou nulidade do processo mas não foi atendido. Os desembargadores Saldanha da Fonseca e Domingos Coelho votaram de acordo com a relatora. Confira o acórdão e veja movimentação do processo.  
29/10/2020 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitante nº  2031335
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.