Terça-feira
01 de Dezembro de 2020 - 

Intranet

Clientes / Advogados

Notícias

Boletins

Assine e receba nossas atualizações jurídicas

Bolsas de Valores

Bovespa 0,92% . . .
Dow Jone ... % . . .
NASDAQ 0,02% . . .
França 0,43% . . .
Japão 1,86% . . .
S&P 500 0,31% . . .

Cotação de Câmbio

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,33 5,33
EURO 6,38 6,38
IENE 0,05 0,05
GUARANI 0,00 0,00
LIBRA ES ... 7,12 7,12
PESO (ARG) 0,07 0,07

Webmail

Institucional / Colaboradores

Previsão do tempo

Hoje - Brasília, DF

Máx
29ºC
Min
16ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Brasíl...

Máx
29ºC
Min
18ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Niterói, RJ

Máx
29ºC
Min
25ºC
Pancadas de Chuva a

Quarta-feira - Niteró...

Máx
27ºC
Min
24ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - São Paulo, SP

Máx
30ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva

Quarta-feira - São Pa...

Máx
30ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
29ºC
Min
25ºC
Pancadas de Chuva a

Quarta-feira - Rio de ...

Máx
27ºC
Min
24ºC
Pancadas de Chuva a

28/10/2020 - 16h57Faculdade indenizará aluno por semestre perdidoInstituição recebeu repasse do Fies, mas não montou grade de matérias

  Aluno foi impedido de cursar semestre eletivo, mesmo tendo a faculdade recebido repasse de financiamento A Faculdade Editora e Distribuição Educacional S/A deverá indenizar um universitário em R$ 7 mil por danos morais e restituí-lo pelas mensalidades cobradas durante o semestre letivo. A decisão foi tomada pela 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), em conformidade com sentença da primeira instância. O estudante fez a matrícula, no primeiro semestre de 2015, no curso de Direito, mas a faculdade não elaborou a grade de horários nem disponibilizou as matérias para serem estudadas. A Editora e Distribuição Educacional  alega que o fato de a montagem das grades ter sido feita três semanas depois do início das aulas não demonstra deficiência na prestação de serviços. A faculdade solicitou a diminuição do valor da indenização. Sem ter as matérias disponíveis para ele, o aluno ainda assistiu a algumas aulas, mas o semestre letivo não constou em seu histórico acadêmico. Segundo o relator do acórdão, desembargador Alberto Henrique, a decisão da primeira instância deve ser mantida. “Os serviços não foram prestados pela faculdade”, ressaltou o relator. Ele também salientou, em seu voto, que a condenação por danos morais é justa, diante da frustração do aluno com o atraso de um semestre no curso, “sem justificativa plausível.” Os desembargadores Rogério Medeiros e Luiz Carlos Gomes da Mata votaram de acordo com o relator. Veja o acórdão e acompanhe a movimentação do processo.
28/10/2020 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitante nº  2031822
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.