Quinta-feira
03 de Dezembro de 2020 - 

Intranet

Clientes / Advogados

Notícias

Boletins

Assine e receba nossas atualizações jurídicas

Bolsas de Valores

Bovespa 0,92% . . .
Dow Jone ... % . . .
NASDAQ 0,02% . . .
França 0,43% . . .
Japão 1,86% . . .
S&P 500 0,31% . . .

Cotação de Câmbio

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,23 5,23
EURO 6,31 6,31
IENE 0,05 0,05
GUARANI 0,00 0,00
LIBRA ES ... 6,96 6,97
PESO (ARG) 0,06 0,06

Webmail

Institucional / Colaboradores

Previsão do tempo

Hoje - Brasília, DF

Máx
30ºC
Min
19ºC
Poss. de Panc. de Ch

Sexta-feira - Brasíli...

Máx
30ºC
Min
21ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Niterói, RJ

Máx
32ºC
Min
24ºC
Pancadas de Chuva a

Sexta-feira - Niterói...

Máx
30ºC
Min
25ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
32ºC
Min
24ºC
Pancadas de Chuva a

Sexta-feira - Rio de J...

Máx
30ºC
Min
25ºC
Pancadas de Chuva a

20/11/2020 - 14h42Justiça obriga Facebook a reativar perfilDenúncia falsa de uso indevido de marca foi motivo para excluir conta

  A empresa tinha elevado número de seguidores no Facebook e a exclusão da conta impactou a vida financeira da loja A juíza do Juizado Especial Cível de Matozinhos, Maria Flávia Albergaria Costa, determinou que o Facebook Serviços Online do Brasil reative, no prazo de cinco dias, a conta de uma empresa que comercializa celulares e acessórios. A rede social havia excluído o perfil por causa de uma denúncia falsa de uso indevido da marca da telefônica Vivo, antiga parceira da empresa. A loja de celulares possuía uma franquia da Vivo, mas rescindiu o contrato dois meses antes do cancelamento da conta e passou a ser franqueada da Claro. Segundo o pedido na Justiça, a loja só veiculou o nome da Claro em suas redes sociais e nas persas campanhas comerciais que criou. A empresa tinha elevado número de seguidores no Facebook e a exclusão da conta impactou a vida financeira da loja. Sem dar nenhuma oportunidade de defesa ou de esclarecimento do fato, a rede social tomou a medida radical de cancelar o perfil. A juíza Maria Flávia Albergaria concedeu a tutela de urgência ao constatar que os documentos juntados ao processo comprovam que o cancelamento da conta se deu de forma arbitrária. Para a magistrada, fundamenta a decisão a importância das redes sociais na atualidade, com seu grande potencial para alcance de vendas e disseminação de informações. "O perigo de dano, por sua vez, também se mostra presente, eis que a rede social se tornou fonte de renda e alavancagem de vendas com a prospecção de novos clientes", concluiu. Processo nº 5002231-08.2020.8.13.0411  
20/11/2020 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitante nº  2039143
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.